Exagerou no carnaval? Veja algumas dicas e recomece!
29 de fevereiro de 2020
Os perigos da Osteoporose
8 de agosto de 2020
Exibir tudo

Os perigos dos alimentos ultraprocessados

Assim como um carro necessita de um bom combustível para ter um ótimo desempenho, precisamos diariamente de proteínas, vitaminas e minerais para manter o organismo com um bom funcionamento. É através de uma alimentação saudável que conseguimos esse resultado.

Uma alimentação inadequada pode comprometer o desempenho no trabalho e em todas as outras atividades, pois pode causar doenças, e ainda mau humor, cansaço e falta de energia, distúrbios de sono, dificuldades de concentração e problemas de memória.

Mas o que são alimentos ultraprocessados?

Os alimentos ultraprocessados são produzidos com a adição de muitos ingredientes como sal, açúcar, óleos, gorduras, extratos de carne, além de substâncias. Assim, tais alimentos têm prazo de validade maior, alteração de cor, sabor, aroma e textura. São exemplos de ultraprocessados: biscoitos recheados, salgadinhos “de pacote”, refrigerantes e macarrão “instantâneo”.

Aqui estão alguns exemplos de alimentos ultraprocessados:

  • Comidas instantâneas;
  • Pipoca de microondas;
  • Salgadinhos embalados;
  • Biscoitos;
  • Carnes processadas;
  • Alguns molhos;

Por que estes alimentos ultraprocessados ​​são ruins?

O grande problema com os alimentos processados ​​em geral é a frequência com que muitas pessoas os comem. No Brasil, entre 25% a 50% da dieta de uma pessoa média consiste em alimentos ultraprocessados! Eles são baratos, convenientes, saborosos e têm uma vida útil longa, tornando-os escolhas populares. Mas a realidade é que os alimentos ultraprocessados ​​simplesmente não nos fornecem “combustível” de qualidade. A grande maioria são pobres em nutrientes, ricos em açucares e sal, diminuem a saciedade, contém inúmeros aditivos artificiais e são “viciantes”.

Um estudo de 2018 também descobriu que comer alimentos ultraprocessados ​​pode aumentar nosso risco de câncer. Nesse estudo, um aumento de 10% na quantidade de alimentos processados ​​na dieta de uma pessoa foi associado a um risco maior de 10% de câncer.

Se você come regularmente alimentos ultraprocessados, é importante educar-se sobre o que está comendo. Porque, mesmo que sejam convenientes, estão diretamente relacionados a obesidade, diabetes, hipertensão, dislipidemias etc.

A escolha é sua! A falta de tempo e de conhecimento das necessidades nutricionais diárias têm sido os grandes problemas na qualidade da alimentação do dia a dia.

Você precisa decidir o que é bom para seu estilo de vida. Não existe uma abordagem única para comer saudavelmente. Naturalmente, quanto mais alimentos in natura ou integrais, com os quais pudermos abastecer nossos corpos, melhor! Nossa melhor escolha é preencher nossa dieta principalmente com alimentos minimamente processados.

Tente pensar em alimentos ultraprocessados ​​como uma alimentação ocasional. Vá devagar, eliminando gradualmente os excessos.

Quaisquer que sejam seus objetivos de saúde – perda de peso, construção muscular, gerenciamento de certas condições de saúde ou apenas bem-estar geral – uma das MELHORES coisas que você pode fazer é reduzir (ou eliminar) os alimentos ultraprocessados.

Espero ter ajudado.

Em caso de dúvidas, busque o especialista. Para saber se o médico é endocrinologista associado à SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) , procure aqui.

Para ler mais sobre obesidade, clique aqui.

Iniciar WhatsApp
Como posso te ajudar?
Olá!
Podemos te ajudar?