Obesidade: como vencer 10 obstáculos comuns na busca pelo emagrecimento
12 de abril de 2019
Osteoporose em homens
13 de maio de 2019
Exibir tudo

Os hormônios da felicidade: conhecendo a dopamina, ocitocina, endorfina e serotonina.

O que é felicidade? É ser rico? Estar com a família e com os amigos? Poder viajar todos os fins de semana? Ter um corpo saudável?

Buscada por todos e uma incógnita para muitos é um momento durável de satisfação, onde o indivíduo se sente plenamente realizado sem nenhum tipo de sofrimento.

Ao longo dos séculos, artistas e pensadores se dedicaram a definir e representar a felicidade. Nas últimas décadas, porém, endocrinologistas e neurocientistas se juntaram a essa difícil tarefa.

Na verdade sentimentos e emoções não são apenas um produto de nossas ações ou situações da vida. O cérebro de um humano é uma fonte de neurotransmissores que se multiplicam e nos fazem sentir todo tipo de emoções, incluindo felicidade e amor.

Hormônios da felicidade

O corpo humano produz centenas desses produtos químicos e a maioria deles ainda não é identificada pelo homem. Os pesquisadores seguem trabalhando na descoberta de todos os compostos neuroquímicos.

No entanto, sabemos as moléculas cerebrais mais importantes que controlam o nosso bem-estar.

Dopamina

A dopamina está intimamente relacionada à personalidade de um indivíduo. Evidências sugerem que os extrovertidos têm níveis mais altos de dopamina do que os introvertidos. É por isso que os extrovertidos estabelecem metas mais altas e são empreendedores na vida, enquanto os introvertidos realizam ações que são mais calculadas e executadas com cautela.

A dopamina é também referida como “a molécula de recompensa” por causa dos atributos de busca de prazer que dá às pessoas e das ações dirigidas à recompensa. Este tipo de comportamento de busca de recompensa resulta em um aumento do nível de dopamina no cérebro.

Ocitocina

O hormônio ocitocina é também conhecido como “a molécula de ligação”. É o hormônio das relações, que torna a pessoa capaz de se doar por outra, de se agrupar, de se socializar. É o hormônio do altruísmo, da honestidade e do amor.

É o hormônio que faz com que um indivíduo se sinta atraído por outro específico, que o deseje, que sinta vontade de ficar com ele, de estar próximo. Também é o hormônio da fidelidade, responsável pela capacidade de manutenção de um parceiro fixo.

A ocitocina é liberada durante o orgasmo, tanto feminino quanto masculino. Na mulher promove contrações uterinas e no homem contração dos ductos seminíferos e ejeção do sêmen.

A ocitocina liga mães e bebês através da amamentação, pois é chave essencial na liberação de leite pelas glândulas mamárias. Durante cada mamada, a liberação de ocitocina pelo cérebro feminino, além de promover a contração das glândulas mamárias e a ejeção do leite, também causa profunda sensação de prazer e relaxamento materno, pois a ocitocina age nas células cerebrais do sistema límbico – relacionado às emoções.

Sabe-se que ela é produzida pelo hipotálamo e armazenada em pequenas vesículas na neuro-hipófise, de onde é liberada para ação tanto no cérebro quanto em outros órgãos. Muito se tem estudado sobre fatores que influenciam a produção e liberação de ocitocina na corrente sanguínea, mas ainda existem muitas dúvidas.

Endorfina

A endorfina é provavelmente o hormônio mais conhecido, produzido pelo hipotálamo e pela glândula pituitária. É conhecida como “a molécula que causa dor”.

Como você provavelmente já sabe, nosso corpo produz endorfinas quando está em atividade física extenuante e durante relações sexuais. É exatamente por isso que a vida sexual regular é recomendada – para manter as endorfinas em níveis elevados.

O consumo de chocolate e pimenta também estimula a produção de endorfina. A endorfina também é libertada após aproximadamente 30 minutos de exercícios físicos aeróbios, como uma corrida. Alguns pesquisadores estudam o efeito da acupuntura como excelente maneira de estimular a liberação de endorfina.

Serotonina

Serotonina é um neurotransmissor que proporciona a sensação de bem-estar e é essencial contra depressão e ansiedade.

A serotonina afeta nossos corpos de várias maneiras. O elo mais comum é feito com a confiança e senso de pertencimento da pessoa. Portanto, se uma pessoa deseja aumentar a serotonina e com esse senso de propósito, ela precisa se desafiar regularmente.

A serotonina é um dos ingredientes mais populares em antidepressivos. Muitos antidepressivos são conhecidos por serem Inibidores Específicos da Recaptação da Serotonina, usados ​​para combater a depressão, bem como transtornos de pânico, transtornos alimentares, ansiedade, dor crônica e TOC.

Criar um bom equilíbrio hormonal que resulte em felicidade não é algo que vem com um guia passo a passo ou uma receita. O Médico Endocrinologista é o profissional que estuda a regulação do sistema endócrino e seus hormônios.

Em caso de dúvidas, busque orientações de um médico especialista em endocrinologia. Para saber se o médico é endocrinologista, associado à SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) , procure aqui.

Para ler outras dicas, clique aqui.

Iniciar WhatsApp
Como posso te ajudar?
Olá!
Podemos te ajudar?