Insulina e Diabetes: Qual a relação? Quando e como usar?
31 de agosto de 2018
Endocrinologia
Endocrinologia: você sabe de que forma o endocrinologista pode ajudar? Conheça, aqui, os campos de atuação.
30 de outubro de 2018
Exibir tudo

Dislipidemia: O que você precisa saber?

Dislipidemia refere-se a níveis não saudáveis de um ou mais tipos de colesterol no sangue.

Seu sangue contém três tipos principais de lipídios:

  • HDL (high-density lipoprotein);
  • LDL (low-density lipoprotein);
  • Triglicerídeos.

Se você tem dislipidemia, isso geralmente significa que seus níveis de LDL ou seus triglicerídeos estão muito altos. Também pode significar que seus níveis de HDL são muito baixos.

O colesterol LDL é considerado o tipo de colesterol “ruim”. Isso porque ele pode se acumular e formar aglomerados ou placas nas paredes de suas artérias. O excesso de placas nas artérias do seu coração pode causar um ataque cardíaco.

O HDL é o colesterol “bom” porque ajuda a remover o LDL do sangue.

Os triglicerídeos vêm das calorias que você come mas não queima. Triglicerídeos são armazenados em células adiposas. Eles são liberados como energia quando você precisa deles. Se você comer mais calorias do que você queima, consequentemente, você pode obter um acúmulo de triglicérides.

Níveis elevados de LDL e triglicerídeos aumentam o risco de ataques cardíacos e derrames. Baixos níveis de colesterol HDL estão ligados a maiores riscos de doenças cardíacas.

Tipos de dislipidemias

A dislipidemia é dividida em dois tipos: primárias e secundárias.

A dislipidemia primária é hereditária. Fatores relacionados com hábitos de vida, como por exemplo, sedentarismo e os hábitos alimentares podem funcionar como desencadeantes para seu surgimento.

Dislipidemia secundária: pode ter origem a partir de outras doenças, como diabetes mellitus, obesidade, hipotireoidismo, insuficiência renal, síndrome nefrótica, doenças das vias biliares, síndrome de Cushing, anorexia nervosa e bulimia, associado ao uso de fármacos, como diuréticos em elevadas doses, β-bloqueadores, medicamentos de tratamento de acne, terapia de resolução hormonal, anticoncepcional oral, entre outros.

Quais são os sintomas?

A dislipidemia não causa sintomas específicos. Você poderia ter dislipidemia e nunca saber disso. Assim como a pressão alta, o colesterol alto não tem sintomas óbvios. É frequentemente descoberto durante um teste de sangue de rotina.

No entanto, a dislipidemia pode levar a doenças cardiovasculares, que podem ser sintomáticas. Níveis elevados de colesterol LDL estão associados à doença arterial coronariana (DAC), que é obstrução nas artérias do coração e doença arterial periférica (DAP), que é um bloqueio nas artérias das pernas. DAC pode levar a dor no peito e, eventualmente, um ataque cardíaco. O principal sintoma da DAP é a dor nas pernas ao caminhar.

Quais são as causas e quais os riscos?

Vários comportamentos podem levar à dislipidemia. Eles incluem:

  • Tabagismo;
  • Obesidade e um estilo de vida sedentário;
  • Consumo de alimentos ricos em gordura saturada e gordura trans.

O consumo excessivo de álcool também pode contribuir para níveis mais elevados de triglicérides.

Você tem um risco maior de dislipidemia primária se um ou os dois pais tiverem dislipidemia.

O avanço da idade também é um fator de risco para o colesterol alto. As mulheres tendem a ter níveis de LDL mais baixos que os homens até a menopausa. É quando os níveis de LDL das mulheres começam a subir.

Outras condições médicas que podem aumentar o risco de dislipidemia incluem:

  • Diabetes tipo 2;
  • Hipotireoidismo;
  • Doença renal crônica.

Além disso, um baixo nível de colesterol HDL está associado a um alto nível de LDL, embora as duas taxas não se movam sempre em conjunto.

Como é feito o diagnóstico?

Um simples exame de sangue que verifica o LDL, o HDL e os triglicerídeos revelará se os seus níveis estão altos, baixos ou saudáveis. Esses números podem mudar de ano para ano, portanto, obter exames de sangue anuais é uma boa ideia.

Se você toma medicamentos para dislipidemia, seu médico pode querer que você faça exames de sangue mais frequentes.

Opções de tratamento

A medicação mais comumente usada para tratar a dislipidemia é a estatina. Existem vários tipos de estatina. Seu médico também pode prescrever outros medicamentos para o colesterol.

Mudanças no estilo de vida podem ajudar?

As mudanças no estilo de vida podem ajudar a controlar seus níveis de colesterol e triglicérides. O primeiro passo é mudar sua dieta. As mudanças devem incluir consumir menos gordura saturada, açúcar refinado e álcool. Adicionar mais frutas, vegetais, proteínas magras e grãos integrais à sua dieta pode ajudar.

Exercícios diários e perda de peso também podem ajudá-lo a melhorar seu perfil de colesterol.

Dicas de prevenção

Tente manter um peso adequado seguindo uma dieta saudável para o coração e fazendo exercícios regularmente. Você também deve parar de fumar se você fuma.

Se você estiver preocupado com a dislipidemia, converse com seu médico sobre como você pode se proteger.

Se você tem uma história familiar de colesterol alto, seja proativo sobre levar uma vida saudável antes que os números de colesterol comecem a se mover em direção a níveis não saudáveis.

Em caso de dúvidas, busque orientações de um médico especialista em endocrinologia. Para saber se o médico é endocrinologista, associado à SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) , procure aqui.

Para ler mais sobre colesterol e triglicerídeos, clique aqui.

Iniciar WhatsApp
Como posso te ajudar?
Olá!
Podemos te ajudar?